Felizes e saudáveis: Cumplicidade entre pets e tutores ajuda na superação de traumas

A união e cumplicidade entre os pets e seus tutores no dia a dia é uma coisa muito presente nessa relação de amizade. Mas esse amor também é visto, hoje em dia, como uma ferramenta poderosa para superar grandes traumas.

A psicóloga Aldeluce Castro explica que adquirir um animal para superar traumas é uma das opções indicadas por profissionais da saúde, principalmente nos momentos iniciais.

“O animal estará suprindo alguma carência momentânea. A pessoa divide a atenção com a perda e aos cuidados com a nova responsabilidade. Estas alternativas funcionais, que chamamos de buscas saudáveis, são muito importantes até que a pessoa preencha o vazio causado pelo trauma”, diz Aldeluce.

cumplicidade_1

E foi assim que Débora Cesário, de 24 anos, iniciou uma nova fase da sua vida. Em 2000, ela tinha 6 anos e viajava de carro com os pais e a irmã de 11 meses, quando sofreu um acidente e foi a única sobrevivente da família.

“Nós voltávamos de São Paulo quando sofremos o acidente. Fui a única sobrevivente. Meses depois ganhei um cãozinho, o Einstein. Com ele comecei a enxergar a vida uma forma muito diferente. Ele me ajudou muito na superação deste trauma e ficou comigo por 14 anos”, explica Débora.

Débora afirma que o amor e cumplicidade entre ela e o cão foi tão grande que até a morte dele se tornou um marco na sua vida.

“Eu estava em viagem e ele ficou bem debilitado. A impressão que tenho é que ele esperou eu retornar da viagem para se despedir”.

Após a partida de Einstein, Débora encontrou outros amigos pets para abraçar. Hoje ela tem três cães; Nina (5 anos), Luna (4 anos) e Ninona (5 anos), além do Chico, um gato de seis meses.

“Hoje tudo é festa. Não me vejo sem a amizade de um animalzinho. Para mim não existe esta possibilidade”.

Os animais possuem lugar especial na vida de Débora; ela garante que eles são companheiros fiéis, que absorvem até mesmo os sentimentos que ela expressa.

“Se estou triste eles me consolam. Se estou feliz, eles se alegram. Aqui tudo é junto. Todos dormem juntos, comem e até mesmo rezamos antes dormir”.

Via: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *