Projeto piloto no Equador cria casas temporárias para animais abandonados

Enquanto as políticas públicas não resolvem a situação, protótipos de pequenos abrigos temporários com design para cães e gatos foram colocados nas ruas pela Natura Futura Arquitectura.

Mas uma cidade do Equador, chamada Babahoyo, encontrou uma maneira de ajudar os animais abandonados nas ruas com um projeto piloto.

São refúgios de 60 centímetros quadrados construídos em madeira, protegidos contra a água da chuva por pequenos beirais, que ajudam a ter ventilação cruzada. 

Essa mesma visão foi mais uma vez adotada pela Natura Futura Arquitectura para atender a um usuário um pouco dispensado pelos arquitetos: pets. O estudo conduzido por José Fernando Gómez implementou a primeira etapa de um projeto piloto autogerido que visa aumentar a conscientização sobre a necessidade de animais abandonados ou perdidos, de abrigos temporários para animais abandonados.

“La Casita del Barrio” é uma rede de abrigos localizados parcialmente estratégicos dentro da área urbana de Babahoyo-Equador em áreas de vizinhança, com opções de design para cães e outros para gatos.

estratégia de implementação

“É principalmente que os animais têm um local de proteção durante o dia e a noite, estabelecendo junto com a comunidade do setor, a apropriação dos mesmos onde se comprometem em fornecer água e comida. Trabalhamos em colaboração para acompanhar o projeto com o coletivo independente local chamado Marcando Huella. “, Diz José Fernando Gómez.

abrigos para gatos e cães

Os abrigos são feitos de madeira, material isolante térmico e protegido contra água e chuva por pequenos beirais e aberturas, que ajudam a ter ventilação cruzada. Para o alimento, uma bandeja é colocada ao lado da água, onde uma garrafa é reciclada, cotovelos e uniões, formando o sistema de distribuição.

“Na América Latina ainda não há uma estatística de animais de companhia, mas estima-se que cerca de 25% deles vivam em situação de abandono, caracterizada por desnutrição e tortura física, que inclui correntes e isolamento. No Equador, o crescimento de animais desabrigados ou perdidos continua aumentando ”, acrescentou José Fernando Gómez.

E se depender da boa vontade dos vizinhos, os animais não passam fome: uma bandeja para comida é colocada ao lado da água para ser reabastecida por quem se compadece da situação. A ideia dos abrigos é criar a consciência de acolher e cuidar desses animais até que encontrem um lar para viver. 

Imagens cedidas por: Natura Futura Arquitectura
© Fotografias: Anthony León 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *