Parvovirose canina: conheça a doença e saiba como se prevenir

O nome tem fama e as consequências dela também. A parvovirose é uma doença canina de alta letalidade que pode comprometer a chegada dos próximos cachorros que você levar para casa, já que o vírus fica no ambiente. Apesar de alguns cães conseguirem sobreviver à doença que destrói sua mucosa intestinal, o vírus pode permanecer no local por um longo tempo.

É possível depois da parvovirose você ter outro cachorro, mas desde que tomadas algumas precauções. Umma delas é lavar tudo, mas TUDO que pertencia ao antigo cão. Veja dicas:

Use hipoclorito de sódio (Alvex, Cândida, Clorofina). Deixe de molho por 30 minutos e seque ao sol antes de enxaguar aquilo que você não vai se desfazer;

Pet shops também dispõem de um produto com odor menos marcante que o hipoclorito. O quaternário de amônia, embora mais caro, é outra opção de desinfetante para uso doméstico quando a residência albergou algum animal com virose;

Se possível, a melhor opção é descartar camas e utensílios que pertenciam ao antigo cão;

Se seu pet dormiu na sua cama, lave toda a roupa e deixe secar ao sol forte.

Saiba que o vírus é altamente resistente no ambiente e pode realmente sobreviver durante anos. Contudo, ele tem sensibilidade ao calor, razão pela qual locais que pegam sol têm mais chances de eliminar o vírus do que aqueles mais úmidos.

Da mesma forma, ambientes com terra também se mostram mais difíceis de desinfetar que a alvenaria. Isso acentua a necessidade de seu mascote só viver nesse local depois de estar imunologicamente bem preparado para isso.

Imunidade

Saiba que vacinar seu pet com as doses recomendadas é outro item muito importante que não pode ser negligenciado. Além disso, cabe salientar que um cachorro começa a desenvolver sua própria imunidade a partir dos quatro meses de idade. Por essa razão, mesmo tendo recebido as doses, é prudente esperar mais algum tempo antes de levá-lo à moradia de um animal outrora enfermo, pois quando mais idade tiver o animal, mais distante se torna o fantasma da parvovirose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *